NOTA DA ASSOCIAÇÃO DOS GEÓGRAFOS BRASILEIROS (AGB) EM APOIO À UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – UERJ

04/02/2017 01:07
A Associação dos Geógrafos Brasileiros (AGB), vem a público manifestar-se em defesa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e contrária aos processos de desmonte e privatização de um dos maiores patrimônios da sociedade fluminense e brasileira, destacando a responsabilidade do Governo do estado do Rio de Janeiro e do Governo Federal, em preservarem e manterem esta Universidade, que reúne contribuição e credibilidade no exercício de sua missão como instituição de ensino público, gratuito e de qualidade.
 
Nos últimos dez anos a UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) vem sofrendo completo abandono do governo do estado sob a gestão do PMDB, colocando-a em uma crise sem precedentes.  Neste momento, a UERJ que tem em seus quadros 2.977 docentes, 4.519 funcionários técnico-administrativos especializados e 32.220 estudantes, reúne o status de 2ª melhor instituição de ensino superior do Rio de Janeiro, a 5ª melhor Universidade do Brasil e a 11ª da América Latina, de acordo com o ranking “Best Global Universities 2016”. Tal posicionamento reflete a qualidade de suas áreas de ensino, pesquisa e extensão, consolidadas ao longo de 64 anos de existência. Esta universidade pública oferece 33 cursos de graduação; 54 de programas de mestrado e 42 de doutorado; desenvolve 142 cursos de especialização e atende a comunidade com 623 projetos de extensão universitária, considerando ainda seu papel na saúde pública com dois centros médicos de atendimento e pesquisa: Hospital Universitário Pedro Ernesto e Policlínica Piquet Carneiro. 
 
Destaca-se que este processo de desmonte busca respaldar-se na falência econômica e de gestão do estado do Rio de Janeiro, como ensaio e justificativa, para impor à sociedade brasileira nova avalanche de privatizações e terceirização dos serviços públicos, além do aprofundamento da precarização das condições e desmonte de direitos dos trabalhadores, fatos que transparecem, por exemplo, no não cumprimento das obrigações salariais para concursados e terceirizados da instituição. Tais ataques vão comprometer todos esforços construídos na ampliação da educação superior pública, nas políticas afirmativas e de inclusão social, resultados das lutas sociais empreendidas nos últimos anos e que se encontram ameaçados a partir das mudanças em nossa Constituição, levadas a cabo por um governo ilegítimo e contrário aos interesses da sociedade brasileira.
 
A AGB mantendo sua trajetória em defesa da universidade pública, considerando seu papel na democratização do acesso à Educação Superior, reconhecendo sua contribuição nos processos formativos a diversos segmentos sociais, bem como na formação de uma sociedade livre e plural repudia as ações de desconstrução desta Universidade e conclama a comunidade geográfica (estudantes e profissionais) e a sociedade brasileira em geral a defenderem a UERJ como universidade pública, gratuita, laica e de qualidade, e responsabilizarem os desmandos dos  governos estadual e federal pela crise imposta a esta renomada instituição.
 
           
 
Associação dos Geógrafos Brasileiros
 
Diretoria Executiva Nacional
 
Biênio 2016-2018