NOTA DE REPÚDIO ÀS EXECUÇÕES DE MARIELLE FRANCO E DE ANDERSON GOMES

10/04/2018 02:10
A Associação dos Geógrafos Brasileiros – Seção Niterói vem a público manifestar seu pesar e solidariedade às famílias de Marielle Franco e Anderson Gomes, além de expressar toda sua revolta contra os assassinatos ocorridos na última quarta, dia 14/03/2018.

Todos os aspectos do caso apontam para execução, bem em meio a Intervenção Militar que ocorre no Rio de Janeiro, e uma crescente perseguição a lideranças que buscam denunciar as violências dessa sociedade machista, racista e homofóbica em que vivemos.  Em sua atuação na luta contra as diferentes expressões de violência do estado, Marielle havia assumido, desde o dia 28 de fevereiro, a relatoria de uma comissão criada na Câmara Municipal para acompanhar e averiguar as ações da intervenção militar que ocorre no estado do Rio de Janeiro. Em sua última denuncia, ela havia apontado a violência e força excessiva dos PMs do 41º BPM (Irajá) nas ações em Acari.

Estão nítidas as motivações políticas para o assassinato de Marielle, assim como está a apropriação de seu assassinato que o Estado e a grande mídia tentam fazer. Já assistimos autoridades usando da morte da vereadora para criar um discurso de necessidade da ampliação da intervenção militar. Devemos repudiar totalmente esse discurso. Sua morte é um atentado contra a democracia, as lutas sociais e o estado de direitos, e tem um sentido nítido: mandar um recado para aqueles que lutam por diretos humanos e por melhores condições de vida para os grupos subalternizados e marginalizados:

 

Querem nos calar.

 

Marielle Franco, mulher, negra, vinda da favela, representa a luta daqueles que são oprimidos em suas ideias e mortos pelos seus ideais. Sem distinção, mesmo sendo crítica à ação da violenta Policia Militar do estado do Rio de Janeiro, não deixou de acolher no exercício de sua militância as famílias de policiais mortos em trabalho. Assim como Anderson Gomes, fora executado enquanto trabalhava. Se por um lado, a morte de Marielle, nos sensibiliza por tudo que ela representa às classes subalternizadas, sendo eleita vereadora com a quinta maior votação do município do Rio de Janeiro, por outro lado, a morte de Anderson Gomes nos entristece por saber que mais um trabalhador morre e teremos mais uma criança que não receberá o carinho de seu pai. Marielle Franco ousou ocupar espaços que os grupos hegemônicos não querem que ocupemos e, nesse tempo, lutou pela população negra, favelada e todos aqueles que o Estado e a Sociedade massacram ou fingem não existir.

 

Que as mortes de Marielle e Anderson não nos silenciem. Ao contrário, que nos façam ter ainda mais vontade de lutar e nos faça gritar ainda mais alto, até que não possam mais nos calar.

 

Marielle está viva enquanto as lutas por uma sociedade mais justa, que ela acreditava, continuarem!

 

Marielle, Presente!!

Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Niterói

 

Nota de Repúdio aos assassinatos da vereadora Marielle Franco e de Anderson Pedro Gomes.pdf (481,6 kB)