Relato da reunião do GT de Agrária do dia 26/8/2012

04/10/2012 21:58

 


Relato da reunião do GT de Agrária do dia 26/8/2012

Local: Rio Comprido

Presentes: Luísa, Paulinho, Edu, Marola, Filé, Laura e Dani.

Informes:

Está havendo desacordo sobre a representação do mineroduto nos mapas do Relatório do Açu e do Relatório sobre o Mineroduto produzido pela AGB-Viçosa. Ao que parece, o mineroduto não atravessa o municípios de Conceição do Mato Dentro-MG, mas sim a Microrregião de Conceição do Mato Dentro. É o caso de rever o mapa para uma próxima impressão.

I) Caderno de Textos:

O orçamento levantado está em mais de R$ 900,00 para a impressão de cem exemplares. Tendo em vista o alto custo, resolvemos realizar um mutirão na próxima reunião para fazer a impressão e o encadernamento, da mesma forma como foram feitos os primeiros.

Conferimos a quantidade de cadernos vendidos e doados e não houve diferença. A quantidade de cadernos vendidos bate com a quantidade de dinheiro arrecadado. A quantidade de cadernos doados dentro e fora do GT também certa. Tudo sob controle.

Ainda há material que sobrou da primeira impressão dos cadernos. O material de impressão da segunda tiragem vai ser custeado pelo GT a título de material de consumo.

II) Seções Locais AGB Rio e AGB Niterói:

No dia 1/9 às 9:00 vai se realizar uma reunião da AGB Rio na UERJ Maracanã, no saguão do 4º andar (ou no Centro Acadêmico de Geografia) para a discussão sobre o processo sucessório na Direção, Grupos de Trabalho e para apresentar a novos participantes como se dá a dinâmica da entidade.

Assembleia da AGB Rio marcada para o dia 29/9 no mesmo local, às 10:00.

Na AGB há hoje avaliação de que é interessante compor direções de seções locais com membros dos GT's, na medida em que tem sido através dos GT's que a entidade tem se feito mais presente em questões políticas diversas (Assuntos Agrários, Meio Ambiente, Ensino de Geografia, Geografia Urbana).

OBSERVAÇÃO: Confirmarmos se foi criada uma conta de e-mail para a comunicação externa do GT.  

III) Fórum de Gt's da AGB:

Confirmada a data de realização do Fórum Nacional de Gt's da AGB: entre os dias 15 e 18 de novembro, em Aracaju-SE.

A princípio, o que se tem definido é que no o Fórum servirá para que os GT'S apresentem seus temas e metodologias, da mesma forma como nesse Fórum serão discutidos os desafios políticos que estão colocados para os GT's  e para a AGB.

Foram dados alguns exemplos de questões a serem debatidas no Fórum de GT's, como por exemplo, se é necessária a criação de outros Grupos de Trabalho, ou se as questões que vê surgindo podem ser tratadas no âmbito dos GT's já existentes. Uma dessas “novas” questões é o conflito entre os Guaranis e os latifundiários no MS. Essa questão está sendo já acompanhada mais de perto pelo Paulinho.

Na reunião da DEN (15 e 16/9) será discutida a organização da Articulação Nacional dos GT's da AGB.

Previamente à realização do Fórum de GT's é necessário que tenhamos alguns momentos de formação política para qualificarmos nossa intervenção.

É possível que o GT Agrária se faça presente com 3 participantes no Fórum. Um custeado pela Seção Local Rio, outro pela Seção Local Niterói e o terceiro custeado pelo próprio GT Agrária.

Está marcado um encontro entre os GT's das Seções Locais Rio e Niterói no dia 27/10 das 9 às 17 h em local a ser definido. Com esta data é possível fazer a discussão sobre os pontos definidos na RGC, que acontecerá entre os dias 12 e 15/10, em Marechal Cândido Rondon-PR.

IV)  GT Agrária Nacional.

No aguardo da reunião da DEN para encaminharmos alguma coisa.

Ficou definido que entraremos em contato com os participantes do ENG que estão com e-mail anotado na lista. Marola se prontificou a fazer esse contato contando o que temos feito e perguntando a quantas andam outras dinâmicas de trabalho de outros GT's.

V)    Trabalhos de campo:

COMPERJ:

É interessante mantermos o foco nas duas localidades onde se verificaram maiores impactos sobre agricultura: Sambaetiba e Guapiaçu. Nesses dois lugares é possível perceber o processo de especulação imobiliária sobre as terras ao redor do COMPERJ (Sambaetiba) e também a ameaça de alagamento em função da construção de uma barragem no rio Guapiaçu. Em Guapiaçu é que foi vista a maior quantidade de pequenos produtores rurais nas comunidades de Quizanga, Vecchi e Serra Queimada.

Decidimos pela realização de outro trabalho de campo logo, para fazer o registro fotográfico,  bem como para aproveitar alguns contatos já feitos com produtores rurais.

SILVICULTURA:

A primeira avaliação é de que seja mais proveitosa a realização do campo no meio da semana, posto que aos finais de semana muitos produtores estão fora por vários motivos.

A segunda avaliação é a patente improdutividade e degradação das terras do Noroeste do estado.

As prefeituras da região estão alheias aos projetos de implementação da silvicultura nos municípios, o que dificultou muito a obtenção de informações. Da mesma forma, as prefeituras da região são extremamente dependentes do repasse do FPM para manterem-se funcionando.

Através da CEDRO é que se pode chegar aos produtores, às secretarias municipais e às escolas.

Foi relatada uma conversa com alunos da Escola Agrícola de Itaperuna. Onde se verificou que não há em suas formações a capacitação para os trabalhos que a silvicultura exige.

Da parte dos alunos foi informado que a mão-de-obra local tem sido amplamente absorvida pela construção do mineroduto.

Há uma discussão sobre Silvicultura e Juventude, onde a atividade de exploração da madeira é sugerida como uma alternativa para a permanência dos jovens na roça. Essa discussão está passando por fora da discussão sobre a produção de alimentos, ao mesmo tempo em que se percebe o prejuízo entre produtores que não tiveram compradores para suas safras e acabaram perdendo toneladas de alimentos.

Outra discussão urgente é relativa à Silvicultura e a preservação/recuperação das áreas já degradadas no histórico de ocupação daquelas terras.

A realização de outro trabalho de campo no Noroeste do RJ será marcado assim que for possível a participação do Thiago. O indicativo é a partir da segunda quinzena de setembro.

AÇU:

A reunião para avaliação da atividade de formação política vai acontecer no dia 1/9. Podem participar Edu e Dani.

Foi exposta a necessidade de sistematizarmos as informações que tivemos sobre o Porto, as desapropriações e o andamento da resposta à Ação Civil Pública, já que essas informações são posteriores à divulgação do texto.

VI)  Agenda:

1 e 2/9 – Reunião de Avaliação da Formação política no Açu. Edu e Dani.

2/9 – Trabalho de Campo COMPERJ. Paulinho, Luísa, Filé.

15/9 – Formação com educadores das escolas do campo da Baixada Fluminense (“A questão agrária da Baixada), na Universidade Federal Rural de Nova Iguaçu. Dani e Gabriel.

22/9 – Reunião de formação com discussão do texto Impacto dos grandes projetos de desenvolvimento no espaço agrário do Rio de Janeiro, que saiu na Terra Livre 36 e que segue no anexo. Nessa reunião faremos o mutirão para impressão e encadernação da segunda tiragem do Caderno de Textos. Local: Rua Aristides Lobo, 171 – Casa 08 – Rio Comprido.

 

RELATO DA REUNIÃO DO GT AGRÁRIA DAS SEÇÕES LOCAIS NITERÓI E RIO DE JANEIRO

03 de agosto de 2012

 

PRESENTES: Alexandre, Aline, Débora, Luciano Filé, Luiza, Paulinho e Pedro.

1 - Informes:

- Não houve nenhum informe. A única questão discutida foi a controvérsia das informações sobre as notícias do atentado ao Alexandre Anderson (AHOMAR) e sua família.


2 - Avaliação do GT no ENG “Impactos dos grandes projetos de desenvolvimento sobre o espaço agrário brasileiro”, espaço proposto pelos GTs de Agrária Rio/Niterói e Recife:

- Foi relatado, acompanhado de avaliações pessoais, o que está ocorrendo em cada estado no espaço agrário brasileiro, de modo a se ter panoramas estaduais. O que deixou claro que é os grandes projetos são um fenômeno que ocorre em todo o país. Foram, no total, 14 estados diferentes que se pronunciaram em relação a isto.

- Foram propostas e aprovadas na plenária final 3 resoluções e 12 moções em relação aos conflitos. As 3 resoluções foram:

1 - AGB integrar a Campanha Permanente Contra o uso de Agrotóxicos e Pela Vida

2 - Apoio à Campanha Nacional pela Regularização do Território Tradicional das Comunidades Tradicionais Pesqueiras 

3 - Debater/Construir um debate por um 3° Plano Nacional da Reforma Agrária

 

- Fortaleza, Dourados e São Paulo se pronunciaram com a intenção da caminhar para a construção de GTs de Agrária.

- Luís Marola (representante do GT de Agrária- Seção Rio de Janeiro) ficou responsável por fazer esta articulação dos GTs até o Fórum de GTs, que ocorrerá em Novembro.

- Propôs-se a construção de um Mapa dos Grandes Projetos no Brasil com base em todas as informações coletadas de vários estados durante os três dias do GT no ENG. O GT de Agrária Rio-Niterói ficou responsável pela construção deste mapa.


3 - Eleições AGB Rio e Niterói:

- Esta pauta trouxe a continuidade da discussão levantada na última reunião sobre a relação GT Agrária – AGB, na qual foi discutida a necessidade da aproximação individual dos integrantes do GT, com a ideia de dinamizar e ajudar a fortalecer as seções locais. Dentro disto houve o pronunciamento dos que estavam presentes em relação ao que pensam sobre esta situação e suas posições em relação a uma aproximação, ou não, das seções locais. Mostraram-se com a intenção de se aproximar das seções locais:

- Niterói: Aline, Alexandre e Pedro

- Rio: Luiza, Filé, Paulinho e Marola (segundo o que foi conversado no ENG)

 

4 - Planejamento GT:

- Foi relatado que os exemplares do II Caderno do GT de Agrária estão prontos.  A diagramação saiu no formato A4, pois foi feito pela Luiza e pelo Leon e por isso não houve a possibilidade desta formatação sair em A3. Os gastos que seriam destinados à gráfica pelo trabalho serão destinados aos dois, pois eles arcaram com os custos da realização do caderno. A tiragem foi de 100 cadernos, e foram vendidos em torno de 70 no ENG. Apontamos que há a necessidade de uma nova tiragem. A Débora se prontificou a realizar a pesquisa das gráficas para a próxima tiragem e apresentar na próxima reunião.

- Foi definido o local do Fórum de GTs, que ocorrerá entre os dias 15 e 18 de novembro (a definir), em Aracaju.

- Estudar a questão do COMPERJ e Silvicultura (norte e noroeste fluminense).

 

A reunião, como combinado, teve um viés operacional. A próxima reunião, que terá um caráter de formação e de aprofundamento do debate dos grandes projetos no RJ, acontecerá no dia 26/08 (domingo) às 9h na Rua Aristides Lobo, 171 – Casa 08. Esta reunião estará aberta a todos, das seções locais, que tiverem o interesse de participar.


Este relato foi feito por Pedro, Aline e Alexandre

OBS: qualquer dúvida mandar email para paulinhochinelo@gmail.com