Carta à comunidade geográfica - Em defesa da educação básica e do ensino de geografia.

21/10/2017 00:24

A Associação dos Geógrafos Brasileiros - AGB, durante o IV Fórum de GTs (Grupos de Trabalho), realizado nos dias 07 e 08 de setembro de 2017 na cidade de São Paulo - SP, em sua plenária final, vem reiterar seu compromisso e práticas políticas em/na defesa da educação pública gratuita e de qualidade, da profissão docente e da Geografia Como disciplina escolar, sendo está um campo fundamental para a onstrução de leituras críticas sobre as relações socioespaciais. A AGB vem acumulando debates através de atividades e encontros como o VIII Fala Professor realizado em 2015 e dos diálogos com outras entidades na tentativa de construir documentos técnicos, notas, moções que denunciam e combatem a precarização e o desmonte da educação em todas as suas escalas (municipal, estadual e nacional) e níveis (Fundamental, Médio e Superior). No último período, de ruptura democrática e institucional, a AGB vem participando das audiências Públicas do Conselho Nacional de Educação como forma de expressar seu posicionamento contrário: a Base Nacional Comum Curricular (BNCC); o desmanche da educação pública proposto pela Reforma do Ensino Médio; e a precarização da formação e do trabalho docente. As reformas educacionais em curso desconsideram as geografias feitas por professoras e professores nas diferentes escolas do país. Tais reformas atendem aos interesses dos agentes do capital privado, que intencionalmente tentam inviabilizar a pluralidade de currículos, construídos no cotidiano das escolas a partir de demandas e do diálogo com os conhecimentos da comunidade escolar, afastando o pensamento crítico e reflexivo da escola para homogeneizar e empobrecer os saberes. Assim, o Fórum de GTs da AGB aponta para a necessidade de fortalecer ações coletivas que construam posicionamentos críticos frente a essas ações que põe em risco a GEOGRAFIA, para isso os temas relacionados às reformas em curso precisam estar incluídos nas pautas das reuniões, nas escolas e nas universidades, como uma forma de incentivar o debate, a manifestação e a realização de ações contrárias a esse processo (antidemocrático e violento de desmonte do Estado e de ataques a disciplinas que desvelam a realidade). Nesses tempos tão obscuros, conclamamos estudantes, professoras e professores de Geografia da Educação Básica e da Universidade, que participem das ações promovidas pelas seções locais da AGB. A quem interessa uma escola sem professores de Geografia? Venha construir conosco a defesa da educação básica e do ensino de geografia. Junte-se a sua seção local.

São Paulo, 08 de setembro de 2017

Associação dos Geógrafos Brasileiros/ Articulação Nacional de GTs